Pirâmide Alimentar Cinematográfica: Gênero Animação

Imagem

Por acaso você já se deparou com alguma cena de filme onde a personagem saboreava algum delicioso alimento e teve vontade de comer também?

Será que em filmes há muitas cenas de alimentos ou refeições? Quais os grupos de alimentos são mais frequentes em cena?

O quanto essas cenas podem influenciar no comportamento alimentar?

Foi diante destas indagações que um grupo de alunas resolveu avaliar o quanto as cenas de alimentos estão presentes em diferentes gêneros (animação, comédia e aventura). Cada uma avaliou cinco filmes ganhadores de Oscar, dos últimos anos, nos diferentes gêneros.

Vamos começar então, com o gênero animação!

Os desenhos animados têm sido criados com intuito de fazer com que a publicidade transforme o público infantil em vorazes consumidores.  A televisão além de veiculo de comunicação também é utilizada para o entretenimento, educação e desempenha papel principal na informação e no comportamento alimentar de crianças.

A minha ex-aluna, Tiffany Bustamante Machado avaliou a influência dos filmes na alimentação infantil. Foram analisados os cinco filmes vencedores do Oscar do gênero Animação (Wallace & Gromit: A Batalha dos Vegetais, Ratatouille, Wall-E, Up – Altas Aventuras e Toy Story 3). Em cada cena onde havia a presença de um alimento registrava-se em uma planilha, em que segundo, minuto ou hora da Animação o alimento aparecia, por quanto tempo ficou exposto e a frequência em que reapareceu no decorrer da trama. A partir dos dados obtidos construiu-se uma pirâmide com os alimentos mais visualizados durante os filmes e os que ficaram expostos por mais tempo.

Resultados: os alimentos foram classificados em dez grupos e distribuídos em uma Pirâmide Cinematográfica de acordo com o número de porções. Os dois grupos mais expostos foram o grupo de legumes e verdura e o grupo dos açúcares e doces, que apresentam influência positiva e negativa, respectivamente, na alimentação das crianças. Em suma, houve uma desproporção negativa apresentada entre as porções da Pirâmide Cinematográfica e a Pirâmide Alimentar Brasileira.

Conclusão: os filmes podem influenciar em escolhas alimentares não saudáveis, até mesmo pela a presença de um personagem/mascote. O ideal é que as animações pudessem direcionar ações que apliem o conhecimento da população em relação à formação adequada dos hábitos alimentares infantis e a promoção da saúde.

Sem Sal. Mais Saúde!

Imagem

A expressão sem sal nos remete àquilo que não tem graça e que não tem sabor.

É verdade que o sal tem a propriedade de realçar o sabor dos alimentos. Mas, por acaso você já tentou experimentar o verdadeiro sabor de um alimento sem a presença de sal?

Sim, eu sei o quanto deve ser difícil para algumas pessoas criarem o hábito de deixar o saleiro de lado e começar a apreciar os alimentos de maneira mais natural.

Estudos científicos demonstram que a população brasileira consome cerca de 12 gramas de sal por dia, mais do que o dobro recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que é de até 5 gramas diárias.

Além do sal de adição outro fator é o consumo exagerado de alimentos industrializados que são fonte de sódio. De acordo com a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF-2008/2009) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a média de ingestão de sódio pela população brasileira ultrapassa 3.200 mg/dia, quando o recomendável são 2.200 mg/dia.

Sim, é importante temperar a vida com alimentos que propiciem sabor e prazer. Mas, indiscutivelmente é possível reduzir em até 30% do sal utilizado no preparo dos pratos sem que ele seja, literalmente,  “sem sal”. Essa redução pode ser gradual e mais, acompanhada da introdução de novos temperos como alho, cebola, ervas e especiarias.

O baixo consumo de frutas e hortaliças, o aumento no consumo de alimento industrializados e a realização das refeições realizadas fora de casa são fatores que contribuem para o alto consumo deste nutriente.

Diante deste quadro, intervenções para a reduzir a ingestão de sódio têm sido elaboradas no mundo todo, com o objetivo de reduzir o risco de doenças cardiovasculares. A pressão alta é, atualmente, o principal fator de risco para a mortalidade global, ocasionando cerca de 51% dos casos de acidente vascular cerebral e 45% das doenças isquêmicas do coração.

Uma das ações realizadas pela OMS e pelo Governo do Canadá foi a elaboração de um Report Técnico, publicado em 2010, sobre as “Estratégias de Monitoramento e Avaliação do Consumo de Sódio na População e as Fontes de Sódio na Dieta”.

O Report está recheado de informações referentes ao consumo de sódio na população, a avaliação da dieta, os alimentos fonte de sódio e o conhecimento, atitudes e comportamento das populações referentes à relação entre o consumo de sódio e a saúde.

No Brasil, o Ministério da Saúde e a Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação (ABIA) assinaram no dia 28 de agosto de 2012, um acordo que reduz a quantidade de sódio em alimentos como caldos, temperos prontos, cereais matinais e margarinas vegetais.  De acordo com o Universo On Line (UOL) tais mudanças levarão a uma redução de  8.788 toneladas de sódio nos alimentos até 2020.

A partir do ano que vem as mudanças começam a valer, sendo que a margarina vegetal é um dos alimentos alvo desta ação. O produto apresentará 19% menos de sódio, e até 2015, o teor máximo de mg de sódio a cada 100 gramas será de 715, contra os 1.660 gramas atuais.

Cada alimento do “menu proposto” terá ao longo dos anos reduções significativas na quantidade de sódio.

Essas ações devem encorajar as pessoas a ter uma vida “sem sal” , mas repleta de sabor em saúde.

Que tal começar hoje? Reduza o consumo de sal de adição, tempere seus alimentos e preparações com ervas e especiarias, experimente o verdadeiro gosto do alimentos e leia os rótulos dos alimentos industrializados. Isso sim são escolhas inteligentes que vão dar mais sabor à sua vida!

Por Trás das Lentes

Imagem

É de comer com os olhos. Sim a visão é um dos sentidos que mais abre o nosso apetite.

Foi pensando nisso e na sua paixão pela comida que os clique do fotógrafo Ricky Rhodes são super lindos e deliciosos de se apreciar.

Um portfólio recheado de sabores, cores, texturas … só faltou sentir o cheiro!

Grande parte de suas fotos é feita sem pós-produção e  utilizando a luz natural.

Um vislumbre para encher os olhos de vontade.

Vale a pena os cliques!

Letras na Cozinha

Imagem

Se você gosta de unir desing e cozinha não pode perder esta nova tendência: arte na cozinha.

A novidade está estampada em cozinhas e armários. Em “letras garrafais”, palavras se espalham pelo ambiente. A grafia mais comum é EAT (comer), mas outros descritores alimentares (Bakery, Yummy, Home, Jam) também aparecem para fazer o espaço ainda mais estiloso.

Quer arte mais divertida do que essa?

Geometria da Massa

Imagem

Não tem quem não resista a uma saborosa massa. E os molhos é que vão tornando tudo ainda mais delicioso.

A preparação é simples, mas é importante escolher o melhor formato do macarrão que combine com o melhor mollho.

Imagina poder brincar com as formas? Quer cozinhar mais divertido que esse?

O Farfalle pode lembrar as gravatas borboletas. O Conchiglie apresenta formato de conchas. O Capelli d’angelo (“cabelo de anjo”) é uma massa mais fininha, sendo usada no preparo de sopas. O Radiatori é uma massa em forma de radiadores. O Penne é também chamado de mostaccioli (pequenos bigodes)…

São tantas formas que essa geometria toda inspirou a produção de um livro, o The Geometry of Pasta. Lá você poderá se deliciar com dicas de molhos e massas. São mais de 100 receitas autênticas do aclamado chefe, Jacob Kenedycom. Todo ilustrado em preto-e-branco pela designer Caz Hildebrand, revelando a história, a ciência e a filosofia por trás de pratos de massas espetaculares de toda a Itália.

Uma mistura espetacular que une o design, a comida e a geometria. De maneira irreverente  e divertida você vai aprender a cozinhar como um legítimo italiano.

O site é só um petisco das possíveis combinações. Clique e saboreie!

Geometry of Pasta, The

Preço médio: R$55,00 (Livraria Cultura)

Bandeiras Comestíveis

Imagem

A bandeira é definida como símbolo que representa um país ou estado. Agora imagina uma bandeira representada com os alimentos que fazem parte do hábito e cultura alimentar daquele local?

Para divulgar o Festival Internacional de Gastronomia de Sydney, uma agência de publicidade projetou bandeiras comestíveis de diferentes nacionalidades.

A bandeira do Brasil é composta de frutas tropicais: banana, limão, abacaxi e maracujá.

Na Itália não poderia deixar de estar presente o manjericão, o tomate e a pasta.

E o Japão? É sushi na certa!

Quer saborear outras nacionalidades? Clique e divirta-se!

Enquanto isso na Casa Branca …

Imagem

Lugar de criança é na …? Cozinha!

Pelo menos esta é uma, entre muitas iniciativas da campanha (Let’s Move) contra a obesidade defendida pela primeira dama, Michelle Obama: o “State Dinner“.

De maneira divertida, a primeira Dama instituiu um concurso (o desafio da alimentação saudável) no qual, crianças entre 8 a 12 anos de idade deveriam elaborar, juntamente com seus pais, uma receita saudável, original, saborosa e que seguisse as orientações nutricionais do My Plate.

Os mini-chefes colocaram a mão na massa e elaboraram receitas criativas, saborosas e nutritivas. Teve salada de quinoa, feijão preto e milho preparada por Thomas de 11 anos, que mora no Arizona, Smoothie de banana e morango feito por uma garotinha havaiana … Foram mais de 1200 receitas e a primeira dama fez questão de experimentar todas elas, juntamente com uma comissão composta por membros do Departamento de Agricultura e Educação.

Das 1200 receitas, foram selecionadas 54, representando cada estado americano.

Aos vencedores foi, então, oferecido um jantar na Casa Branca, na cia de Michelle Obama, com direito a visita de Barack Obama para homenagear a deliciosa noite.  O cardápio incluiu seis receitas vencedoras que foram preparadas pelos chefs da casa.

O “State Dinner” foi transmitido ao vivo  no dia 20 de agosto. Se quiser se deliciar e divertir com as receitas ganhadoras há como baixar o Livro de Receitas do Desafio Saudável.

Ações como esta são maneiras divertidas de compartilhar momentos em família, experimentar sabores novos, conhecer novos alimentos, introduzir hábitos saudáveis e promover saúde.

Quer banquete mais saudável e divertido do que este?

Aveia “em Bar”

Imagem

Como nutricionista defendo com garfos e panelas o consumo regular de aveia. A considero como um coringa da nutrição. Além de combinar com diferentes e deliciosas preparações, apresenta uma série de benefícios à saúde.

Por conter uma fibra solúvel chamada betaglucana, a aveia retarda o esvaziamento gástrico, promovendo maior saciedade e melhor funcionamento intestinal, melhora a circulação, controla a glicemia e inibe a absorção do colesterol.

O consumo regular de aveia pode auxiliar na redução de riscos cardiovasculares. A recomendação de consumo diário é de 3g de ß-glucana de aveia por dia, o que equivale a três colheres de sopa de farelo de aveia (40g) ou quatro da farinha de aveia (60g).

Agora imagina um restaurante que oferece aveia de todas as maneiras, de todas formas e gostos? Isso é sabor em saúde.

Recentemente foi inaugurado em Nova York um bar que só oferece preparações à base de aveia, o OatMeals.

Do básico mingau de aveia às irresistíveis tortas de abóbora e preparações super diferentes compostas por figos com gorgonzola e parmesão com azeite, tudo tendo como base a aveia. Entre as sobremesas há frutas e frutos secos, oleaginosas, chocolate e muito mais.

Ainda está achando que tem pouca aveia para saborear? Há também uma pastelaria contendo croissants, biscoitos, rolos de canela, trufas e pães de aveia.

Não tem como resistir não é mesmo!

É muita aveia “em bar”.

Aprecie, a saúde agradece.

Se Comer Não Dirija!

Imagem

Você já pensou em se deliciar com um sanduíche à base de uísque ou gim?

Esta é a proposta de uma lanchonete em Nova York, a Salumé. De maneira super irreverente é possível degustar diferentes sanduíches regados com boas doses de bebidas alcóolicas. Tem  sanduíche de prosciutto com gim e panini de presunto com uísque.

O bacana é que a bebida não evapora na preparação e dá pra saborear cada ingrediente do sanduíche.

Não vá pensando que qualquer um pode experimentar esta novidade. Menores de 21 anos estão terminantemente proibidos de prová-los.

Se esta moda pegar no Brasil …

Se comer não dirija!

Seja Organicamente Feliz!

Imagem

Hoje resolvi experimentar sabores novos. Decidi que era mais do que o momento de começar a me rechear de prazeres com mais saúde e sem aditivos, adotando um novo estilo de vida. Experimentei um almoço regado à produtos orgânicos.

O mercado e o consumo de produtos orgânicos tem ganhado cada vez mais adeptos, movimentando cerca de US$ 23,5 bilhões de dólares por ano, com uma expectativa de crescimento da ordem de 20% ao ano (Guivant, 2003).

No Brasil, o público consumidor é predominantemente do sexo feminino, profissional liberal ou funcionário público, com idade entre 31 a 50 anos, formado por famílias pequenas. Em sua maioria têm o hábito de praticar atividade física e, mesmo morando nos centros urbanos, procuram um estilo de vida que privilegie o contato com a natureza. São, também,  preocupados com a saúde e a qualidade de vida e privilegiam terapias e medicinas alternativas (Karan & Zoldan, 2003; Kirchner, 2006; Darolt, 2007).

Entre as razões para o baixo consumo estão o preço, seguido da oferta e disponibilidade e a procedência.

Para garantir a procedência e a qualidade, todos os produtos orgânicos vendidos em feiras, supermercados e restaurantes do país, a partir de 2011, devem apresentar na embalagem o selo nacional de certificação (SisOrg). Um selo público e oficial utilizado para identificar e controlar a produção nacional de orgânicos (Brasil, 2009).

Então, para poder fazer parte deste time orgânico decidi me deliciar no Quintal dos Orgânicos. Localizado na Vila Madalena (SP), é uma opção super gostosa para os adeptos ao consumo de alimentos isentos de agrotóxicos. A proposta é uma mistura incrível que une o prazer do bem comer, com a promoção da saúde. Um espaço multidisciplinar, que reúne restaurante, cafeteria, mercado, loja de roupas, cursos, workshops e livros sobre alimentação e saúde.   No mercado são vendidos produtos orgânicos que vão desde frutas e hortaliças à produtos de higiene e beleza.

Em todas as preparações são utilizados os alimentos da própria quitanda. Tem opção à la carte e o buffet de saladas orgânicas.

As mesas ao ar livre são uma ótima opção para as pessoas que desejam conhecer e compartilhar momentos especiais com pessoas diferentes.

Alimente esta ideia!

Quintal dos Orgânicos
Horário: 09h00 às 19h00
r. Fradique Coutinho, 1416, Vila Madalena, SP
Informações: (11) 2386-1881