Chefes Celebridades e suas Receitas: Saúde e/ou Sabor?

Imagem

nigellaMOS2912_468x381

A gastronomia vem ganhando cada vez mais lugar de destaque no meio midiático e, em consequência, caindo literalmente, no gosto brasileiro.

A palavra gastronomia deriva do grego antigo e remete à estômago e conhecimento. É um ramo delicioso que abrange a culinária, as bebidas, os materiais utilizados na alimentação, e todos os aspectos culturais que se encontrem associados.

Visa o prazer por meio do estímulo dos sentidos. Brinca-se com as cores, formas, texturas, sabores e outros aspectos. Todos juntos e misturados aguçam ainda mais a vontade de deliciar uma preparação.

A nutrição fica em segundo prato, ou melhor em segundo plano. Nem sempre existe uma preocupação em aliar sabor e saúde quando se prepara uma receita.

Diante desta saborosa mania gastronômica um estudo recente, realizado pela Food and Public Health, resolveu analisar as receitas de chefes britânicos famosos. Será que este mundo de gosto e sabor está recheado de possíveis preocupações à saúde, sendo motivo de atenção para a saúde pública?

Pois bem, vamos degustar!

O Preparo:

Os pesquisadores realizaram uma avaliação nutricional de 904 receitas entre 26 famosos, comparando-as com as diretrizes nacionais sobre alimentação saudável e ​​utilizando um Índice de Alimentação Saudável (IAS). A seleção incluiu diferentes preparações. As receitas foram escolhidas de maneira aleatória, baseando-se na literatura e nos sites. Foram analisadas em estudo cego, por meio de software de análise de dieta por três pesquisadores dietéticos treinados.

A Receita:

A energia total média a cada 100g analisadas foi de 200 calorias, o que corresponde a 28% da recomendação nutricional diária. Em relação aos macronutrientes, a proteína, os carboidratos totais e a gordura total por porção encontradas foi de: 25g, 44g e 31g, respectivamente, com diferenças significativas observadas entre os Chefs celebridades.

Entre os nutrientes que mais desandaram tem-se: o açúcar, o sal e a gordura saturada. O IAS foi negativo em 87% das receitas.

O estudo também comparou os valores nutricionais das receitas entre os gêneros e descobriram que as chefes mulheres produzem receitas com valores nutricionais inferiores aos homens.

Não se quer, de maneira alguma, desmerecer aqui a atividade tão saborosa que um chefe de cozinha realiza. Mas, devemos nos atentar às preparações realizadas, com o objetivo de criar uma consciência mais saudável, e assim fazer escolhas inteligentes.

O consumo diário de receitas como estas podem contribuir para o aumento do risco de doenças crônicas, entre elas, a obesidade.

Mais nutritivo seria se os chefes pudessem aliar saúde ao prato. Uma combinação perfeita!

Fica a deliciosa dica.

Fonte:

Jones et al. A Systematic Cross-Sectional Analysis of British Based Celebrity Chefs’ Recipes: Is There Cause for Public Health Concern? Food and Public Health 2013, 3(2): 100-110

Colher Comestível

Imagem

Presentation_Image2

A nutrição utiliza-se utensílios para adequar o porcionamento dos alimentos e/ou preparações. De acordo com Philippi (1999) “porção”  é a quantidade de alimento em sua forma usual de consumo, expressa em medidas caseiras (xícaras, fatias,…), unidades ou na forma de consumo (4 gomos de laranja, 1 fatia de mamão, 4 unidades de biscoito).

Fazemos uso das medidas caseiras no nosso dia a dia de maneira equivalente ao peso dos alimentos correspondente em sua unidade de medidas (gramas, litros, outros). Por exemplo: uma colher de sopa de arroz, equivale, em média, a 30g.

Agora imagine que os utensílios além de servirem como apoio e medidas possam ser comidos?

Isso mesmo! Uma colher comestível.

Essa é a proposta de uma empresa, a triangle tree. Trata-se de uma colher comestível e sustentável. Composta principalmente de milho e farinha integral e com um toque de ervas e especiarias. Apresenta-se em três sabores: natural, picante e doce. 

Você pode utilizá-la para comer o seu cereal matinal preferido, uma sopa, um ensopado … basta usar a sua saborosa imaginação!

E mais, a colher comestível apresenta um sistema de dissociação dos pedaços de maneira pré-determinada, evitando a formação de grânulos aleatórios.

Um comer de colher irresistivelmente saboroso para não deixar nada no prato!

cc

Referência:

Philippi ST, Ribeiro LC, Latterza AR, Cruz ATR. Pirâmide alimentar adaptada: guia para escolha dos alimentos. Rev. Nutr.1999;12:65-80.