Manchas Comestíveis

Imagem

Captura de Tela 2013-08-17 às 21.25.08Hermann Rorschach’s, um psiquiatra suíço, é conhecido pelo seu trabalho sobre o significado psicológico de interpretações dadas a manchas de tintas.

Agora imagine estas manchas serem criadas a partir dos sabores. Cada condimento e tempero criando imagens deliciosas.

Um obcecado por comida pode ver saborosos projetos nas imagens da nova coleção, Rorschach Food, do fotógrafo Esther Lobo.

Uma série de fotos simétricas, em cores, formas, sabores e cheiros. Será que Hermann Rorschach explica?

Delicie!

Captura de Tela 2013-08-17 às 21.27.00

Captura de Tela 2013-08-17 às 21.27.16

Casinha Doce, Doce de Algodão Doce!

Imagem

Captura de tela 2013-03-04 às 10.16.15

Uma casa que deixaria João e Maria com água na boca.

Essa é a proposta da artista argentina Jennifer Rubell. Ela cria o que chama de arte participativa, um híbrido entre performance, instalações e acontecimentos. Rubell estimula a participação dos espectadores, envolvendo os sentidos geralmente proibidos ou ausentes em exposições em museus. Explora, também, a interseção do monumental e do efêmero.

Rubell é formada em Belas Artes e também estudou culinária. Por uma década escreveu sobre alimentos em revistas antes de seguir a carreira artística.

Normalmente, a artista faz uso de comidas e bebidas em seus ensaios artísticos. Já usou costelas com mel escorrendo pelo teto, ovos empilhados, rosquinhas penduradas em paredes e o seu mais recente e doce ensaio: 1800 cones de algodão doce rosa para construir uma casa.

A proposta deste ensaio é adocicar a vida e chamar a atenção aos prazeres (literais e figurados) proporcionados pelo ambiente e pela palavra em si.

Uma doce viagem ao mundo dos sentidos!!!

Delicie-se!

Preferências
§
1
2
3
4
5
6
7
8
9
0
=
Backspace
Tab
q
w
e
r
t
y
u
i
o
p
[
]
Return
capslock
a
s
d
f
g
h
j
k
l
;
\
shift
`
z
x
c
v
b
n
m
,
.
/
shift
English
alt
alt
Preferências

Raio-X dos Alimentos

Imagem

Tirar fotos de alimentos já virou mania mundial. Agora imagina só tirar fotos de dentro dos alimentos?

Deixa eu explicar melhor.

Andy Ellison trabalha com tecnologia na Universidade de Medicina de Boston. Sem muito o que fazer (eu imagino que seja isso), ele criou um saboroso e lindo site recheado de imagens de frutas, legumes, verduras e flores fotografadas com uma máquina de ressonância magnética, isso mesmo, aquela que usam no hospital para ver dentro da sua cabeça!

As imagens de dentro dos alimentos são incríveis. Um Raio-X em preto branco de abrir a curiosidade e o apetite de qualquer um!

Vale o clique!

Seja Organicamente Feliz!

Imagem

Hoje resolvi experimentar sabores novos. Decidi que era mais do que o momento de começar a me rechear de prazeres com mais saúde e sem aditivos, adotando um novo estilo de vida. Experimentei um almoço regado à produtos orgânicos.

O mercado e o consumo de produtos orgânicos tem ganhado cada vez mais adeptos, movimentando cerca de US$ 23,5 bilhões de dólares por ano, com uma expectativa de crescimento da ordem de 20% ao ano (Guivant, 2003).

No Brasil, o público consumidor é predominantemente do sexo feminino, profissional liberal ou funcionário público, com idade entre 31 a 50 anos, formado por famílias pequenas. Em sua maioria têm o hábito de praticar atividade física e, mesmo morando nos centros urbanos, procuram um estilo de vida que privilegie o contato com a natureza. São, também,  preocupados com a saúde e a qualidade de vida e privilegiam terapias e medicinas alternativas (Karan & Zoldan, 2003; Kirchner, 2006; Darolt, 2007).

Entre as razões para o baixo consumo estão o preço, seguido da oferta e disponibilidade e a procedência.

Para garantir a procedência e a qualidade, todos os produtos orgânicos vendidos em feiras, supermercados e restaurantes do país, a partir de 2011, devem apresentar na embalagem o selo nacional de certificação (SisOrg). Um selo público e oficial utilizado para identificar e controlar a produção nacional de orgânicos (Brasil, 2009).

Então, para poder fazer parte deste time orgânico decidi me deliciar no Quintal dos Orgânicos. Localizado na Vila Madalena (SP), é uma opção super gostosa para os adeptos ao consumo de alimentos isentos de agrotóxicos. A proposta é uma mistura incrível que une o prazer do bem comer, com a promoção da saúde. Um espaço multidisciplinar, que reúne restaurante, cafeteria, mercado, loja de roupas, cursos, workshops e livros sobre alimentação e saúde.   No mercado são vendidos produtos orgânicos que vão desde frutas e hortaliças à produtos de higiene e beleza.

Em todas as preparações são utilizados os alimentos da própria quitanda. Tem opção à la carte e o buffet de saladas orgânicas.

As mesas ao ar livre são uma ótima opção para as pessoas que desejam conhecer e compartilhar momentos especiais com pessoas diferentes.

Alimente esta ideia!

Quintal dos Orgânicos
Horário: 09h00 às 19h00
r. Fradique Coutinho, 1416, Vila Madalena, SP
Informações: (11) 2386-1881

Bolo de Coco

Imagem

Essa delícia cheirosa e macia eu degustei, na verdade devorei, quando fui à casa de uma amiga do peito visitar a minha afilhada.

Entre prosas e fofocas aproveito minhas idas à BH para rever amigos queridos e dar um cheiro na coisa mais fofa que existe: Malu, minha linda afilhada.

Nesse dia tão saboroso Malu estava agitada, receptiva e brincalhona. Entre uma troca de fralda, um banho e uma mamada fui agraciada com um delicioso bolo de coco.

Super apetitoso! Um bolo caramelizado, fofo, úmido, cheiroso e deliciosamente digno de repetecos.

Foram várias fatias até minha despedida.

O cheiro da Malu se misturou ao cheiro do bolo.

Não podia deixar de postar a receita que agora chamo de Bolo de Coco da Malu

Ingredientes

– 3 ovos

– 2 colheres (s) margarina

– 2 ½ xícaras farinha de trigo

– 2 xícaras de açúcar

– 1 pacote coco ralado

– 1 vidro de leite de coco

– 1 colher (s) Royal.

Bata as gemas com a margarina e o açúcar. Colocar a farinha, o coco ralado um pouco hidratado com um pouco de leite, o leite de coco e o pó Royal. Por último as claras em neve.

Prontinho para assar e deliciar!

Aprecie sem moderação!

Hoje é Domingo

Imagem

Hoje o dia em Sampa estava muito feio.

Um domingo preguiçoso, chuvoso e frio daqueles que dá vontade de ficar debaixo das cobertas sem fazer nada.

Mas, nada melhor do que amigos para aquecer e nutrir de felicidade um dia tão grey!

Um almoço super aconchegante, com cia mais que especial. Almoço de domingo em família regado a boas risadas. Um banquete em prosa, verso e delícias.

O lugar não podia ser melhor: Lá da Venda


O cardápio é um caso à parte. Um deleite que só de ler abre o apetite. As preparações são, em sua maioria, realizadas com produtos orgânicos, artesanais e/ou sustentáveis.

As preparações são bem ao estilo Comfort Food, acalentam a alma, nos remetem à infância e às preparações de família. Aguçam os sentidos e as memórias.

Depois de escolher o prato do dia a surpresa é ainda maior ao ver a apresentação. Cada um mais lindo que o outro.

Hoje optei pelo Bacalhau. Estava divinamente delicioso!

Para completar, a sobremesa foi um pudim de tapioca espetacular.

Não preciso nem falar que meu domingo terminou saborosamente bem!

Meu Mingau de Milho Verde, ou melhor, Amarelo

Imagem

Alguns o conhecem pelo nome de Curau, mas em Minas falamos Mingau de Milho Verde.

Nestas férias de julho estive em BH nutrindo-me de carinho e aconchego familiar. E mais, me deliciando com os quitutes da Conceição, uma delícia de cozinheira. Tudo que ela faz, faz com amor e na velocidade de uma maria fumaça. Uma típica mineira. E é só eu falar que estou indo passar uns dias por lá, que Conceição adora me mimar com esse afagos de prazer.

Pois bem, o que resolvi pedir? Um delicioso mingau de milho verde.

No dia seguinte à minha chegada eu e Conceição começamos a prepará-lo. Em meio a prosas e fofocas debulhávamos o milho.

Com sua técnica e prática Conceição depelava as espigas não sobrando, sequer, um único grão para contar história.

Essa parte, confesso que deixei ao cargo de sua experiência. Tentei, mas minhas espigas continuavam amarelas. Minha maior habilidade com certeza é o comer.

O bom do mingau da Con é que posso sentir o gosto do milho. Não muito doce. A doçura é na medida do ato de se apaixonar e querer sempre mais.

E assim continuamos a preparar: leite, canela e alguns minutos no fogão até engrossar.

O cheiro já exalava pela casa.

Depois de pronto lá estavam as delícias, cada um em sua vasilha à espera do degustar!

Aquela cor amarelada (nada verde), polvilhada com canela, só à espera da primeira da primeira abocanhada!

Conceição, obrigada por tornar meus dias ainda mais saborosos!!

O que é que a Baiana tem?

Imagem

Os segredos da Bahia são vários.

Seus temperos, sabores e preparações são apimentados com um toque de afoxé. Porém, entre os doces prazeres da vida tem uma cocada para deixar seu dia mais gostoso.

Eu amo cocada e não poderia deixar de declamar o meu “Ode à Cocada” com um receita de família.

Rápida, simples e deliciosa esta cocadinha fez parte da minha infância. Minha tia morava em salvador e em todas as festinha de família lá estava ela com aquela caixinha cheirosa de coco.

Há tempos não saboreava esta delícia e foi, no nascimento de minha prima, que este momento nostálgico ressurgiu. Lá estava meu tio na maternidade com uma caixinha de cocadinhas …. um deleite!

Depois daquele dia, peguei a receita e não me canso de prepará-la!

Juro que o dia que fizer sua casa inteira vai ter um cheiro inesquecível!

Cocadinha a La Beleza

– 1 lata de leite condensado

– 2 pacotes de coco ralado sem adição de açúcar

– 3 gemas

Misture todos os ingredientes em um vasilhame e despeje o conteúdo em formas de papel no 03. Deixe assar até corar.

Pronto!

Dicalícia: eu prefiro as cocadinhas de um dia para o outro. Ficam mais úmidas e mais saborosas. Mas, confesso que acabo comendo algumas assim que saem do forno!!!